Continuous Delivery: o que esperar de DevOps em 2020?

Continuous Delivery: o que esperar de DevOps em 2020?

Continuous delivery é um dos maiores avanços trazidos pela metodologia DevOps. A colaboração entre os setores de desenvolvimento e implantação cresce a cada dia. Dessa forma, essa mecânica de trabalho que permite entregas mais rápidas e maior eficiência é uma das maiores tendências para as empresas.

A CD pode ser vista como uma evolução da CI em direção ás linhas de montagem de DevOps. Basicamente, ela é um processo inovador de implantação e integração de novos códigos e softwares por meio de uma sequência de ciclos repetitivos. Assim, aliados às diversas ferramentas que permitem uma melhor comunicação dos setores, qualquer alteração, melhoria ou reparo são feitos de maneira eficiente e sustentável para o projeto.

É importante ressaltar que a continuous delivery é diferente da continuous deployment, que estabelece a implantação automática no final da pipeline. A implantação, como o resto do processo, passa por pequenos ciclos incrementais que visam diminuir a ocorrência de erros. Dessa forma, o tempo dos colaboradores e os gastos envolvidos no projeto também são diminuídos.

Como a Continuous Delivery funciona?

Como dito anteriormente, a principal vantagem da continuous delivery é combinar dentro da integração dos times de DevOps em pequenos ciclos de trabalho. Dessa forma, times diferentes tem acesso às mesmas ferramentas e maior flexibilidade e comunicação para prevenir erros e poupar gastos.

Muitos especialistas até preferem se referir à continuous delivery como a combinação da metodologia ágil na continuous integration. É a solução perfeita para implementar melhorias e novos softwares dentro do contexto atual de mercado onde geralmente estão inseridos.

Os pipelines de continuous integration consolidam a construção e a união dos testes para cada mudança no código enquanto as linhas de montagem de DevOps focam na automatização das conexões entre as atividades realizadas pelos times.

A DevOps permite compilações mais rápidas de código por meio dessa paralelização de workflows simultâneos, permitindo que times não dependam de outros para realizar seu trabalho. Dessa forma, a combinação da metodologia ágil só tem a beneficiar o ambiente de produção e melhorias de software.

Quais são as principais ferramentas da CD no mercado?

Antes de mencionar algumas delas, é importante dizer que para a correta aplicação da continuous delivery, são necessárias diversas ferramentas. Cada uma delas possui um escopo diferente dentro do desenvolvimento de softwares.

Entre as principais estão containers de software, ferramentas de construção, revisão e insights de código para a construção básica. As ferramentas de gerenciamento de bases de dados e DB, cloud e gerenciamento de dependências são necessárias para o acervo de códigos necessários. Da mesma forma, as ferramentas de automação, tanto de infraestrutura e integração são essenciais para economia de tempo.

Ainda há ferramentas de rastreamento de problemas, provisionamento, monitoramento e testes, que previnem erros chegarem na fase de implantação.

A ferramenta mais popular atualmente no mercado é a Buddy. Ela foi desenvolvida em pipelines de entrega criados com dezenas de ações prontas para uso. Assim, por estarem em containers isolados que podem ser rearranjados, é possível programar, testar e integrar softwares como a equipe desejar. Ainda mais, ela suporta as mais populares linguagens e frameworks utilizados atualmente.

Contudo, uma baixa desse ano será o Hudson, uma ferramenta open source em JAVA popular, que permite a construção e teste contínuo de projetos de softwares. Com ele é possível realizar tarefas de construção sequencial após conclusão de uma outras ou programar construções. O Hudson deixará de ser atualizado a partir do dia 31/01/2020.

Por último, uma tendência que tem crescido bastante é a linguagem desenvolvida pela Google, a Google Goolang ou apenas Google Go Além de ser usada por grandes empresas disruptivas como Uber e Apple, ela está extremamente alinhada com os objetivos de DevOps por sua escalabilidade e eficiência. Dessa forma, ela vai ser uma grande tendência em 2020 para se ficar de olho.

Essas são alguns dos pontos em potencial que o DevOps pode oferecer. Fique de olho para conferir ainda mais novidades em nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *